Home > Notícias > Espaço em sp quer ser vitrine física para o e-commerce

Notícias

Espaço em sp quer ser vitrine física para o e-commerce

6 setembro 2019 | Digital & Tecnologia

O Brasil tem hoje quase 90 mil lojas virtuais, que devem encerrar 2019 com um faturamento somado de R$ 80 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Em 2018, o volume de vendas pela web cresceu 15% na comparação com o ano anterior — bem acima dos 2,3% de alta do varejo tradicional. A julgar pelos números, não faltam clientes dispostos a comprar pela internet. Mesmo assim, há quem sinta falta de algo que nem a melhor das telas de smartphone, tablet ou computador pode proporcionar: a experiência sensorial do contato com o produto.

Oferecer essa proximidade no mundo físico é a proposta da galeria tecnológica E-live Center, ideia do publicitário Renato Loes, que presidiu a agência Leo Burnett antes de criar a Mar Comunicação. Trata-se de um espaço físico para e-commerces exibirem seus produtos com o máximo de experimentação. “Cada ponto de exposição é pensado para gerar visita direta à página do produto na web, colocando o consumidor mais perto do carrinho de compras com o uso de tecnologias imersivas”, afirma Loes.

O lugar escolhido para abrigar o E-live Center foi o shopping Parque da Cidade, inaugurado com um hub de serviços dentro de um complexo de edifícios comerciais e residenciais e onde funciona o luxuoso hotel da rede Four Seasons em São Paulo. Com área total de 800 m2, se divide em espaços para que 16 e-commerces de segmentos distintos exibam seus produtos por ciclos de três meses, com a possibilidade de renovação por mais três, desde que o lojista mude o lay-out e a coleção. Além das lojas rotativas, em que a venda só pode ser feita por meio de plataformas digitais, haverá espaços virtuais de degustação, chamados de lounges. “São ambientes de entretenimento, sem compra física, sem caixa, sem estoque, privilegiando o contato com os produtos e seus conteúdos”, diz Loes.

Recursos como o video mapping aplicado a manequins e vitrines digitais foram pensados para aprofundar ainda mais a experiência de compra. “Recriamos a navegação do e-commerce num espaço físico mesclando a presença física de produtos com vitrines interativas com conteúdo em vídeos, imagens e até realidade virtual e aumentada”. Para o publicitário e seus sócios no empreendimento, que vêm de experiências tanto no varejo quanto no mercado financeiro, é assim que as lojas do futuro funcionarão.


Fonte: IstoÉ Dinheiro

Este portal e suas ferramentas utilizam cookies para seu perfeito funcionamento como descrito nas políticas do site. Se quiser saber mais ou quiser bloquear os cookies veja aqui. Política de cookies.
Ao fechar esta banner, rolar esta página, clicar em um link ou continuar a navegação de qualquer outra forma, você concorda com o uso de cookies. Aceito